Maternidade em Curitiba (PR) conclui reforma na infraestrutura

Pacientes e profissionais do Pronto Atendimento e do Centro Obstétrico são os principais beneficiados

Nos últimos dias, a Maternidade Victor Ferreira do Amaral (MVFA) passou por diversas melhorias estruturais. O Centro Obstétrico e os consultórios de Pronto Atendimento da unidade, que compõe o Complexo Hospitalar de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (CHC-UFPR), foram reformados para proveito da população.

Segundo Denise Jorge Munhoz, chefe da Divisão de Cuidado Materno-Infantil, os principais beneficiados serão as pacientes e os profissionais de saúde. “Além do bom ambiente, importante para que a família vivencie a experiência do parto, as pacientes serão atendidas em locais que cumprem as ações e diretrizes relacionadas à prevenção e controle de infecções”, afirmou ao lembrar que, após as melhorias, os funcionários da instituição filiada à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) podem desenvolver o trabalho em local mais adequado.

A chefe da Divisão Médica da Maternidade, Lenira Senesi, salientou o desafio de promover um projeto desta dimensão em duas semanas. “O apoio da Unidade Materno-Infantil do Hospital de Clínicas (HC), que faz parte do Complexo, em receber a equipe foi essencial”, disse. A gestora ainda ressaltou a importância da atuação do grupo de trabalho da Infraestrutura e de Gestão para que tudo ocorresse com o mínimo de intercorrências.

Custeio

O investimento de R$ 38,2 mil proporcionou que 374,3 m² fossem reformados (321,6 m² no Centro Obstétrico e 52,7 m² nos consultórios). Deste valor, R$ 21,2 mil partiram de recursos próprios do Complexo HC. O restante, R$ 17 mil, representa a soma de cinco aparelhos de ar-condicionado: quatro advindos do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente, e outro ofertado pelo Sindicombustíveis, que também doou misturadores especiais.

“Considero que o período nos oportunizou o início de uma integração mais completa com o hospital”, comentou Denise. “A equipe da MVFA trabalhou muito para que tudo desse certo, tanto ao ficar na maternidade, quanto ao se deslocar para o HC, um local desconhecido até então”.

Durante a adequação da ambiência – entre 17 e 31 de julho – os partos, tratamentos, exames e consultas aconteceram no Hospital de Clínicas (HC).

Deixe uma resposta