Investimentos em soluções acústicas são importantes alternativas para evitar problemas de estresse e contaminações

O ruído é considerado um dos principais riscos em hospitais segundo o manual “Segurança no Ambiente Hospitalar”, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O barulho constante e em elevados níveis interfere diretamente no bem-estar de pacientes e profissionais que atuam nestes locais, resultando em problemas como fadiga, estresse e até danos ao sistema cardiovascular e fisiológico. Como consequência, pode dificultar a recuperação de pacientes e reduzir a produtividade dos profissionais da saúde.

“Ruídos externos causados por buzinas, aviões, ambulâncias, e ruídos internos decorrentes de caldeiras, equipamentos e centrais de ar condicionado não podem atrapalhar o descanso de pacientes, nem o trabalho de médicos e enfermeiros”, reforça Nicole Fischer, gerente de Marketing da Atenua Som.

Prova de que o combate ao problema tem sido uma preocupação crescente entre as instituições de saúde, a empresa instalou portas e janelas com vedação especial em vários hospitais da cidade de São Paulo, dentre os quais o Samaritano, o Santa Paula e o Pro Matre. De acordo com Fischer, as instituições recorrem a essas alternativas não só para minimizar os ruídos, como também para impedir a entrada de impurezas vindas da rua e contaminações.

“As portas e janelas são confeccionadas em alumínio e vidro, materiais não porosos, os quais são associados a vidros especiais, como o antibacteriano, que mata as bactérias presentes em sua superfície e previne a proliferação de fungos, o que é ideal para os hospitais”, explica.

Personalizados

Para as instituições que pretendem adotar este tipo de solução, Nicole recomenda que sejam solicitados os laudos técnicos de comprovação de eficácia acústica, a fim de garantir produtos que cumpram o prometido.  “Encontramos muitas adaptações no mercado, janelas convencionais com pequenas melhorias, que resolvem o problema parcialmente, sem assegurar o resultado acústico que produtos desenvolvidos para esse fim atingem”, frisa.

A executiva também acrescenta que os hospitais têm características diferentes e, por isso, as soluções devem ser personalizadas. “Consideramos essencial a especificação e fabricação de produtos sob medida, de modo que sejam atendidas as necessidades específicas de cada hospital. Para cada tipo de ruído, por exemplo, existe uma composição de vidros a ser utilizada”, finaliza.