Ampliação do Hospital Municipal Dr. Alexandre Zaio contempla diversas áreas de atendimento

Implantar soluções inovadoras em edificações públicas. Este é o desafio encarado pela Borelli & Merigo Arquitetura e pela Makhohl Arquitetura, frente às obras do Hospital Municipal Dr. Alexandre Zaio, na zona leste de São Paulo. Responsável pelo projeto de ampliação da unidade de Saúde, o time de arquitetos dos escritórios se viu diante de uma proposta ousada desde a sua concepção: em vez de simplesmente ampliar, era necessário construir um novo prédio.

“Inicialmente, a Prefeitura pretendia ampliar as atuais instalações do hospital. Contudo, dada a ampliação do programa inicial e as dificuldades para se adaptar a edificação antiga à nova legislação, concluiu-se que seria melhor a construção de um hospital inteiramente novo. A partir de então, começamos a desenvolver o projeto”, explica o arquiteto e urbanista Marcos de Oliveira Costa.

Foi preciso desenvolver um projeto que contemplasse áreas para pronto-atendimento, emergência, Hospital Dia, centro cirúrgico, UTI, obstetrícia e enfermaria – isso tudo em uma área cujo terreno possui configuração alongada, perímetro curvo e desnível acentuado. Os arquitetos também levaram em consideração a necessidade de reforma da Praça Vigário João de Paula – em estado precário de conservação – no terreno vizinho ao hospital.

“A solução proposta consistia na criação de um grande pedestal que se acomodava aos diferentes níveis do terreno, permitindo a correta separação dos diversos acessos ao hospital: serviços, funcionários, pronto atendimento, emergência e internação. Deste modo, também conseguimos separar os fluxos do hospital, o que é fundamental para o controle da assepsia do edifício”, afirma Costa.

Acessos flexíveis

O estacionamento da instituição fica no subsolo, com acesso pela Rua Alves Maldonado. Devido à declividade da via, o acesso à emergência fica no embasamento da obra. Mais acima, no térreo, foi projetado o acesso de serviços e internação, através da Rua Alberto Flores.

A acessibilidade do pronto atendimento também será feita ao nível do embasamento da construção, através da praça. “Isto criará um espaço de acomodação de grande qualidade paisagística, voltado para o principal eixo de transporte público da região, a Avenida Professor Edgar Santos”, explica o arquiteto.

Sobre o pedestal, ergue-se uma torre composta por três partes articuladas: a central, onde localizam-se as circulações verticais, shafts, instalações e espera dos visitantes; e duas laterais, onde ficam os serviços hospitalares.

“Com a concentração das circulações e dos shafts técnicos na parte central, as duas asas laterais ficam inteiramente liberadas. Isto garante grande flexibilidade e facilita qualquer alteração no layout sem comprometer os demais pavimentos”, afirma Costa.

A estrutura proposta e projetada pela Eduardo Penteado Engenharia possibilita grande flexibilidade. As lajes são planas, sem vigas, o que facilita a distribuição das instalações no entreforro, em especial os dutos de climatização (o HAZ é inteiramente climatizado), e também aumenta a liberdade para futuras reformas.

Humanização em pauta

Como todo hospital público, o fluxo de visitantes no Hospital Dr. Alexandre Zaio é grande. Pensando no conforto e humanização do público, foram criados espaços para instalação de cadeiras-cama nos quartos de forma que os acompanhantes possam dormir junto com os pacientes. “Além disso, as salas de espera são generosas, bem iluminadas, ventiladas e com varandas ajardinadas”, ressalta o arquiteto.

Sustentabilidade e inovação

De acordo com Costa, o projeto do Hospital Dr. Alexandre Zaio tem como diferencial o sistema de aquecimento de água da unidade, que consiste num complexo misto abastecido por energia solar e gás.

Além da sustentabilidade, o hospital ainda inova com as Unidades de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo) e Unidades de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru (UCINCa). “Isso representa um grande avanço na qualificação do atendimento dos recém-nascidos e de suas mães, que podem ficar junto aos seus filhos durante as internações intensivas”, diz Costa.

Superando desafios

A responsabilidade de ancorar o projeto de ampliação de uma instituição pública de Saúde é um grande desafio. Segundo o arquiteto, a complexidade do programa, do terreno, as necessidades das especialidades médicas, as determinações –muitas vezes antagônicas- que a legislação impõe e as implicações sociais fazem do projeto do Hospital Dr. Alexandre Zaio uma iniciativa ousada e inovadora. “Articular uma solução que responda a todas estas demandas, e ainda consiga qualificar o espaço da cidade é um desafio gigantesco”, conclui Costa.

Mais de três décadas projetando a Saúde no Brasil

A Borelli & Merigo já projetou dezenas de edifícios de Saúde ao longo de seus mais de 35 anos de atividades. Entre os empreendimentos de sucesso do escritório estão o Hospital de Araxá (MG), o Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, o Hospital Cidade Tiradentes (SP), Hospital Unimed de Piracicaba, Hospital das Clínicas de Especialidades de Alta Complexidade de Jundiaí (SP), Hospital Nacional de Zacatecoluca (El Salvador) e Hospital Municipal M’Boi Mirim (SP), recentemente eleito como um dos 10 hospitais públicos de excelência no Brasil.